Petrobras anuncia aumento do diesel em 14,2% e da gasolina em 5,2% - PORTAL TOP MÍDIA

Notícias

Petrobras anuncia aumento do diesel em 14,2% e da gasolina em 5,2%



A Petrobras anunciou, nesta sexta-feira (17), novo reajuste no preço da gasolina e do diesel. A gasolina chega, agora, a R$ 4,06 por litro. O valor anterior era de R$ 3,86. O diesel sobe o preço médio de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro. Aumento passa a valer a partir deste sábado (18/6).


Assim, o reajuste da gasolina será de 5,18%, enquanto o do diesel chegará a 14,2%. A medida contraria o pedido do governo para que a Petrobras segurasse o preço dos combustíveis.


Em comunicado, a estatal ressaltou que o aumento foi feito 99 dias após a última mudança no preço da gasolina. No caso do diesel, o valor estava mantido por 84 dias, segundo a Petrobras.


“A companhia tem buscado o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse imediato para os preços internos da volatilidade das cotações internacionais e da taxa de câmbio. Esse posicionamento permitiu à Petrobras manter preços de GLP estáveis por até 152 dias; de diesel por até 84 dias; e de gasolina por até 99 dias”, diz a nota.


O Conselho Administrativo da Petrobras fez uma reunião emergencial na quinta-feira (16/6), durante o feriado, para tratar do aumento. O presidente do órgão, Márcio Weber, convocou o encontro para tentar dar um fim à crise que toma conta do assunto.


O fato de, segundo a Petrobras, os preços estarem abaixo do mercado internacional fez com que a decisão fosse tomada. De acordo com a Associação Brasileira dos Importadores e Combustíveis (Abicom), a defasagem em relação ao combustível no mercado externo é de até 18% no diesel e de 14% na gasolina.


Com o impasse entre as demandas do governo e do Congresso – que querem os preços mais baixos – e do mercado – que insiste na política de preço de paridade de importação (PPI), o conselho apostou no aumento.


Críticas


Antes do anúncio de novo aumento nos preços da gasolina e do diesel, o presidente Jair Bolsonaro (PL) escreveu, na manhã desta sexta-feira (17/6), que a Petrobras pode “mergulhar o Brasil num caos”. E citou a greve dos caminhoneiros em 2018, que provocou alta nos preços e desabastecimento.


Na live semanal de quinta-feira (16/6), Bolsonaro atacou ainda mais fortemente a estatal, seus diretores, acionistas minoritários e o reajuste no preço dos combustíveis.


“Espero que a Petrobras não queira aumentar o diesel e aumentar a gasolina nesses dias em que estamos negociando com o Parlamento, com tremenda boa vontade dos parlamentares”, afirmou o presidente, referindo-se ao corte de impostos sobre diesel e gasolina, que foi aprovado pelas duas Casas.


“A Petrobras está rachando de ganhar dinheiro. O diesel está lá em cima, em função de impostos e também em função do preço cobrado pelo Petrobras, que está rachando de ganhar dinheiro”, disse ele.


O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Ciro Nogueira, também se manifestou contrário ao aumento por meio de suas redes sociais, na noite dessa quinta-feira (16/6). “Basta! Chegou a hora. A Petrobras não é de seus diretores. É do Brasil”, tuitou.


Críticas


Antes do anúncio de novo aumento nos preços da gasolina e do diesel, o presidente Jair Bolsonaro (PL) escreveu, na manhã desta sexta-feira (17/6), que a Petrobras pode “mergulhar o Brasil num caos”. E citou a greve dos caminhoneiros em 2018, que provocou alta nos preços e desabastecimento.


Na live semanal de quinta-feira (16/6), Bolsonaro atacou ainda mais fortemente a estatal, seus diretores, acionistas minoritários e o reajuste no preço dos combustíveis.


“Espero que a Petrobras não queira aumentar o diesel e aumentar a gasolina nesses dias em que estamos negociando com o Parlamento, com tremenda boa vontade dos parlamentares”, afirmou o presidente, referindo-se ao corte de impostos sobre diesel e gasolina, que foi aprovado pelas duas Casas.


“A Petrobras está rachando de ganhar dinheiro. O diesel está lá em cima, em função de impostos e também em função do preço cobrado pelo Petrobras, que está rachando de ganhar dinheiro”, disse ele.


O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Ciro Nogueira, também se manifestou contrário ao aumento por meio de suas redes sociais, na noite dessa quinta-feira (16/6). “Basta! Chegou a hora. A Petrobras não é de seus diretores. É do Brasil”, tuitou.